sábado, 31 de março de 2012

Professores americanos visitam o projeto




A Orquestrando a Vida realizou nesta manhã uma apresentação especial para os professores americanos que estarão ministrando classes a partir da tarde deste sábado no Centro de Convenções da UENF, dentro da programação do 3º SIMUSIC (Seminário Internacional de Música).
Os nove professores americanos são de diversas partes dos Estados Unidos e a maior parte deles são músicos da “Baltimore Symphony Orchestra” e professores do “El Sistema” americano, além do maestro Roberto Zambrano, diretor do Núcleo de Aguarigua do “El Sistema” na Venezuela.

Os professores se encantaram com o trabalho realizado pela Orquestrando a Vida e pelo grande nível técnico do projeto e intensificaram a necessidade de maior apoio as atividades e de um novo espaço.
Assim, como a Heloísa Fischer, os professores americanos veem a necessidade urgente de ampliação do projeto para que este projeto ganhe destaque mundial, diante da grande capacidade que os maestros e professores têm de formar músicos fielmente ao “El Sistema” venezuelano.


O maestro Jony William, diretor e fundador do projeto de Campos se sente honrado pelo reconhecimento do trabalho que é desenvolvido com muita garra.
- Ficamos honrados em saber que estamos realizando um trabalho de extrema qualidade, e hoje com 16 anos de projeto temos o reconhecimento desta grande luta. Realmente estamos Tocando e Lutando sempre, disse Jony William.
Durante as apresentações das orquestras os professores americanos se emocionaram com os alunos e a capacidade de desenvolver um trabalho tão brilhante.
O 3º SIMUSIC é uma realização da Orquestrando a Vida, UENF, FENORTE e Centro Cultura Musical de Campos e seguirá até o próximo dia 28 de abril com um Grande Concerto Sinfônico no Ginásio do SESC Campos.

sexta-feira, 30 de março de 2012

3º SIMUSIC


Maestros Jony William, Roberto Zambrano e Luis Mauricio Carneiro
O maestro venezuelano Roberto Zambrano já se encontra em Campos desde a última quarta-feira e já iniciou os ensaios com a Orquestra Mariuccia Iacovino.
Hoje a Orquestrando a Vida recebe 10 professores americanos para dar seguimento ao 3º SIMUSIC. Os professores americanos são oriundos de uma das mais famosas orquestras americanas, a Baltimore Symphony Orchestra, que atualmente a sua maestrina foi convidada para estar à frente de uma das maiores orquestras da América Latina, a OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo).
Com a duração de quase 30 dias o Seminário tem como objetivo preparar os jovens músicos das Orquestras da Orquestrando a Vida para a profissionalização na altura dos grandes centros culturais.

quinta-feira, 29 de março de 2012

ORAVI recebe doação de instrumentos



A Orquestrando a Vida continua se multiplicando e atingindo a cada dia mais crianças através do ensino de música de qualidade, reconhecido em vários países.
Esta semana o projeto recebeu a doação de 10 violoncelos para melhorar o atendimento aos alunos e facilitar o trabalho das orquestras.
- Esta doação vem em um momento de extrema necessidade. Disse Isabela Biancardine, professora de violoncelo.

 

quarta-feira, 28 de março de 2012

3º SIMUSIC recebe 10 professores americanos


Maestro Jony William e professores do "El Sistema" Venezuelano.
   A Orquestrando a Vida em parceria com a FENORTE. UENF e o Centro Cultura Musical de Campos inicia hoje (28) o 3º SIMUSIC (Seminário Internacional de Música) que contará com a presença de professores dos Estados Unidos, Venezuela, Inglaterra, Espanha e Brasil.
Com a duração de quase 30 dias o Seminário tem como objetivo preparar os jovens músicos das Orquestras da Orquestrando a Vida para a profissionalização na altura dos grandes centros culturais.
Os professores americanos são oriundos de uma das mais famosas orquestras americanas, a Baltimore Symphony Orchestra, que atualmente a sua maestrina foi convidada para estar à frente de uma das maiores orquestras da América Latina, a OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.
O maestro Jony William tem um incansável trabalho na música erudita no país, tendo recebido prêmios pelo destaque na realização de projetos culturais, sempre privilegia Campos nas suas grandes realizações, levando o nome da cidade aos grandes centros culturais e teatros do mundo, como o famoso Carnegie Hall.
- A música em Campos depois do SIMUSIC será diferente.  Estaremos recebendo grandes músicos das melhores orquestras americanas como a Baltimore Orquestra. Estamos dando uma oportunidade única na profissionalização dos nossos músicos que estarão vivenciando momentos que nos faz lembrar o FEMUSICA (Festival de Música de Inverno de Campos) que chegamos a ser reconhecido como o maior festival de música do país, movimentando o mercado cultural nacional e a economia da cidade de Campos, disse o maestro Jony William.
Alice Rocha de Oliveira, mãe da trompista Polyana Rocha acredita na grande oportunidade que os jovens músicos das orquestras da Orquestrando a Vida estão tendo.
Eu não conheço outro projeto que tem tantas oportunidades como esta que minha filha e esses jovens estão tendo. É uma grande troca de experiências onde esses jovens se sentem valorizados e preparados para representar a cidade em qualquer ocasião, disse Alice.
Campos hoje tem um projeto reconhecido mundialmente como o melhor e maior núcleo do célebre “El Sistema” que tem como representante da sua potencia musical o grande maestro Gustavo Dudamel que atualmente está à frente da Orquestra Sinfônica de Los Angeles e em 2012 regeu a Orquestra “Campista” (Orquestra Sinfônica Mariuccia Iacovino) no palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro em um concerto fechado para o criador do “El Sistema” o maestro José Antônio Abreu.
Com o SIMUSIC, Campos, através da Orquestrando a Vida está na lista de grandes realizações culturais do país, sendo reconhecida como a cidade da música. Cidade esta que infelizmente não dá o retorno necessário aos músicos que com tanto talento e carisma conquistam o mundo .

terça-feira, 27 de março de 2012

HOJE: Abertura da Temporada 2012

A Orquestra Sinfônica Mariuccia Iacovino se prepara para a Abertura da Temporada 2012, hoje as 20h no Teatro Municipal Trianon com um concerto sinfônico em homenagem aos 177 anos da cidade de Campos dos Goytacazes.
A Orquestrando a Vida mantém 7 orquestras sinfônicas em um projeto de resgate social através da música.
Amanhã em parceria com a FENORTE e UENF a ONG inicia o 3º SIMUSIC (Seminário Internacional de Música), que será realizado no Centro de Convenções da UENF e trará a cidade de Campos 10 professores americanos, 1 venezuelano, 1 espanhol e 1 Inglês para aperfeiçoamento dos grupos sinfônicos do projeto.
O concerto de hoje promete ser um grande espetáculo para os admiradores da musica erudita com a apresentação de um repertório incluindo grandes peças sinfônicas como a 5 sinfônica de Tchaikovsky entre muitas.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Orquestra abre temporada com Concerto e Seminário com professores americanos.


Campos tem Orquestra, e muitas...

Todos podem comprovar isto no próximo dia 27, na abertura da temporada de concertos/2012 da Academia de Orquestras e Coros Sinfônicos do Brasil,( Orquestrando a Vida) com a apresentação da Orquestra Sinfônica Mariuccia Iacovino no Teatro Municipal Trianon às 20h, entrada franca, em homenagem ao 177º aniversário da cidade de Campos dos Goytacazes.
A Orquestra se apresentará com 87 músicos campistas e deixa um exemplo em que nossa cidade é capaz de ter um excelente grupo sinfônico,que é reconhecido pelo Brasil e mundo representando nossa cidade nos mais reconhecidos e renomados palcos  do mundo.

- Reconhecer e valorizar este grupo sinfônico é muito importante. Nossa orquestra precisa de apoio financeiro e dedicamos nossas vidas  para que a musica em nossa cidade seja uma realidade. Precisamos reconhecer que em nossa cidade já conta com uma orquestra sinfônica e completamente pronta para representar o nome do nosso município, não precisamos de mais orquestras. Precisamos solidificar o que temos. Nossa luta é grande e reconhecer com palmas não é suficiente para manter nossas orquestras, diz o maestro Jony William.

No dia 28 a ONG inicia o 3º SIMUSIC (Seminário Internacional de Música), que será realizado no Centro de Convenções da UENF e trará a cidade de Campos 10 professores americanos, 1 venezuelano, 1 espanhol e 1 Inglês para aperfeiçoamento dos grupos sinfônicos do projeto.
O concerto, promete ser um grande espetáculo para os admiradores da musica erudita com a apresentação de um repertório incluindo grandes peças sinfônicas como a 5 sinfônica de Tchaikovsky entre muitas.

A ONG Orquestrando a Vida, entidade sem fins lucrativos que mantém e administra as atividades da Academia de Orquestras e Coros Sinfônicos do Brasil, prevê cinco séries de concertos para a temporada/2012,.

A atuação da ONG junto à comunidade campista é algo relevante e inovador que abrange, desde os procedimentos de socialização através das práticas musicais sinfônicas até o treinamento e a formação de jovens visando uma futura atuação profissional. A programação tem a direção geral do Mo. Jony William Vianna e artística do Mo. Luis Mauricio Carneiro.



Orquestra Sinfônica Mariuccia Iacovino

A Orquestra Sinfônica Mariuccia Iacovino foi fundada em março de 1998 e desde sua fundação já teve várias formações. A Orquestra é um grupo  pertencente à Academia de Orquestras e Coros Sinfônicos do Brasil.
Desde sua fundação, este grupo sinfônico é mantido pela ONG Orquestrando a Vida, que reúne, atualmente, cerca de, 85 integrantes, originados de diversas camadas sociais, principalmente aquelas menos favorecidas e inseridos na faixa etária dos 10 aos 19 anos e tem a direção artística e regência do maestro Luis Mauricio Carneiro e direção geral do maestro Jony William Villela.
Durante todos os anos de existência, a Orquestra vem sendo considerada uma iniciativa inédita, não só no Estado do Rio de Janeiro, mas no Brasil e na América do Sul, sendo a primeira orquestra  brasileira a fazer parte do projeto venezuelano “El Sistema” da FESNOJIV (Fundacion del Estado para el Sistema Nacional de las Orquestas Juveniles e Infatiles de Venezuela) que mantém um intercâmbio de professores e alunos, o que denota o reconhecimento internacional de que goza esta iniciativa. O que também suscitou os maiores elogios de Yo-yo ma e Perlman pela seriedade do trabalho, que abrange 1800 jovens e que existe ha 14 anos na cidade de Campos-RJ .
Com extensa temporada anual de concertos, realizados periodicamente no Teatro Municipal Trianon, de Campos, Rio de Janeiro a orquestra realizou diversas turnês de concertos por diversas cidades brasileiras e países da América Latina, dentre as quais, podem ser citados os seguintes teatros e espaços: Theatro Municipal do Rio de Janeiro (RJ-Brasil), Sala Cecília Meireles (Rio de Janeiro), Auditório de Radio Paraná (Encarnación – Paraguai), Auditório Belgrano (Buenos Aires – Argentina), Auditório San Agustín/Universidad Católica Argentina (Buenos Aires – Argentina), Salon Dorado Del Teatro Colón (Buenos Aires – Argentina), Centro Sinfônico Nacional (La Paz- Bolívia), Museu Nacional de Arte (La Paz- Bolívia), Teatro Muncipal de El Alto (Bolívia), Palácio das Laranjeiras ( Rio de Janeiro) , Teatro Vivo Rio (Rio de Janeiro), Golden Roon/Hotel Copacabana Palace, United Palace Theatre (New York), Church of the Holy Innocents (Manhattan – New York), Church of the Atonement (Bronx – New York), Union City Music Project New Jersey (New Jersey), Weill Hall/ Carnegie Hall (New York).
A Orquestra conta com um vasto repertório de música brasileira, enfatizando a sua cultura com danças do folclore brasileiro como samba, capoeira e marchinhas de carnaval. A orquestra realiza grandes evoluções em palco com coreografias mostrando a brasilidade dos músicos e a riqueza dos ritmos brasileiros.
No ano de 2008, através de parceria com a Dell’Arte, este agrupamento sinfônico ganha uma nova e promissora etapa em sua existência, tendo a oportunidade de tocar para grande músicos como: Yo Yo-Ma, Itzhak Perman e Maestro Gustavo Dudamel , transformando-se no segmento educacional desta empresa e abrindo uma era de muitos e grandiosos desafios.
Em 2010 a Orquestra fez sua turnê internacional pela Bolívia, participando do “8º Festival del Sol” nas cidades de La Paz e El Alto, em 2011 abriu as comemorações dos 102 anos do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, realizou um concerto exclusivo sob a regência do maestro Gustavo Dudamel em homenagem ao maestro José Antonio Abreu, fundador no El Sistema da Venezuela, e Orquestra Simon Bolívar e realizou sua turnê nos Estados Unidos da América, encerrando a turnê no Carnegie Hall em Nova York.

sexta-feira, 23 de março de 2012

ORAVI recebe representantes da Igreja Sâo Francisco




A Orquestrando a Vida recebeu esta tarde (23) a visita de representantes da Igreja São Francisco, onde acontece a Série Sinfônica com a Orquestra Sinfônica Mariuccia Iacovino e solistas de renome nacional.
O Major Almeida e o Srº Renato Aquino estiveram visitando as salas de aulas e ensaios das orquestras sinfônicas da Orquestrando a Vida e conhecendo um pouco do trabalho realizado pela ONG.


A Série Sinfônica estreou sua primeira edição em 2011, com a grande recepção do público campista que comprovou o grande desenvolvimento técnico atingido pela Orquestra Sinfônica Mariuccia Iacovino na companhia de solistas que empolgava o publico. 

Em 2012 a série ganha novo fôlego reservado para cantores e corais como o barítono Lício Bruno que abre a série no dia 04 de maio, e segue com a fabulosa Neti Szpilman, Coral Ensemble Brasil da UFRJ, Geraldo Mathias, Max Wilson e encerrando a série em dezembro será o especialíssimo Coral Infantil da UFRJ com um repertório todo dedicado a canções natalinas.

Heloísa Fischer recebe comenda da ORAVI


A Orquestrando a Vida conferiu, nesta quita-feira (22), na cidade de Campos dos Goytacazes, a entrega da Comenda da Orquestrando a Vida a Heloísa Fischer.

Diretora geral e fundadora da Viva Música, Heloísa foi agraciada com a comenda recebendo das mãos do Presidente Jony William a homenagem pelos relevantes serviços prestados à música no país. 

O presidente da ORAVI, Jony William, ressaltou trajetória de luta de Heloísa Fischer na divulgação da música erudita no país e da importância que a Viva Música tem para os músicos brasileiros. 

- Heloísa é a pioneira no Brasil neste trabalho tão importante para nos músicos. A comenda da Orquestrando a Vida é entregue a pessoas que fazem a diferença para a arte e principalmente para nossos jovens músicos da Orquestrando a Vida. Hoje ganhamos mais uma grande aliada para o nosso trabalho, disse o maestro Jony William.


A jornalista carioca Heloísa Fischer de Medeiros Pires, 44 anos, é fundadora e diretora-geral de VivaMúsica! Edições.
Edita a revista mensal Agenda VivaMúsica!.  É comentarista de música clássica das rádios CBN (rede nacional,  terças e quintas, 16h10) e MEC FM do Rio de Janeiro (de segunda a sexta, às 13h). Produz e apresenta o programa "Clássicos VivaMúsica!" a bordo de voos nacionais e internacionais da TAM.
Formada pela Escola de Comunicação da UFRJ, antes de fundar VivaMúsica!,  Heloísa foi coordenadora das rádios Globo FM (1990-1993) e Opus 90 FM  (1993-1994). A Opus foi a única emissora clássica comercial do Brasil.
Nos anos 1990, chegou a acumular a direção da empresa com prestação de serviços a outras organizações ligadas ao setor como a gravadora Sony Classical (1999-2000) e a rádio MEC FM (1997, coordenação artística). Já prestou consultoria para o Sistema Globo de Rádio e somlivre.com em projetos de música clássica. Ancorou para a TVA as transmissões ao vivo dos concertos de Luciano Pavarotti na Bahia e Os Três Tenores no Morumbi, ambos em 2000.

quinta-feira, 22 de março de 2012

ORAVI foi selecionada por seu destaque internacional no ensino da musica.


  video


A Orquestrando a Vida recebeu hoje (22) a visita da jornalista Heloísa Fischer para conhecer as atividades das orquestras sinfônicas da Academia de Orquestras e Coros Sinfônicos do Brasil.
A visita iniciou às 8h da manhã e teve o seu encerramento às 17h devido ao grande número de grupos sinfônicos pertencentes a ONG.



Heloísa já conhecia a capacidade musical da Orquestra Mariuccia Iacovino pelo destaque nacional que a orquestra teve recentemente com a turnê em Nova York, concertos realizados para o maestro José Antonio Abreu e Gustavo Dudamel, além de conhecer o maestro Jony William há muitos anos pela realização dos festivais de inverno (FEMUSICA).

- Eu já conhecia a capacidade desses jovens, porem estando aqui eu fico impressionada com o que eu vi. A vontade desses jovens de realizar o trabalho é enorme, diz Heloísa Fischer.

Além de resaltar a qualidade artística dos jovens músicos da Orquestrando a Vida, Heloísa cita a importância de um novo espaço e mais parceiros para a realização das atividades da ONG.

- Estou surpresa de como é possível realizar um trabalho de tanta qualidade e tão serio em uma estrutura que esta longe de ser ideal para estes jovens. Surpreende-me como um projeto deste tamanho e com tantas dificuldades conseguem tantos resultados.


Heloísa também cita a Orquestrando a Vida como referencia de trabalho a ser seguido em outras cidades brasileiras.

- Este trabalho é de uma importância fundamental para a cidade de Campos, para o Estado do Rio de Janeiro e para o Brasil, porque é um exemplo a ser seguido em outras cidades.

- Eu fico imaginado quando a Orquestrando a Vida conseguir uma sede, instrumentos adequados e multiplicar pela cidade de Campos este trabalho. Eu me pergunto onde este trabalho vai parar.

- Termino um dia de trabalho completamente energizada com a emoção e paixão que estas pessoas têm pela música sinfônica. Estou recarregada para chegar até o final de 2012, muito animada para trabalhar.


Heloísa é diretora geral e fundadora do Anuário Viva Música que na edição de 2012 trará uma matéria sobre os projetos socioculturais de orquestras sinfônicas atuantes no Brasil. A Orquestrando a Vida ficou entre os 10 projetos selecionados para receber a visita da Heloísa pelo grande desenvolvimento técnico musical que seus grupos sinfônicos vêm atingindo nos últimos anos, sendo reconhecido internacionalmente como o maior e melhor núcleo do 'El Sistema'.

Heloisa Fischer na ORAVI

Maestro Jony William e Heloísa Fischer
A Orquestrando a Vida está recebendo hoje (22) a jornalista Heloísa Fischer para uma pesquisa sobre o projeto que a ONG realiza para a maior revista especializada em música clássica do Brasil com distribuição internacional.

Heloisa é a criadora da revista que a cada ano aborda um tema específico, dentro da música. Este ano o assunto é música social e a ONG foi selecionada por seu destaque intenacional no ensino da música.


Heloísa Fischer visita a Orquestra Infantil

quarta-feira, 21 de março de 2012

Orquestrando a Vida ganha as redes sociais com campanha



A Orquestrando a Vida ganha as redes sociais com campanha da nova sede para o projeto das Orquestras e Corais que a instituição realizada há 15 anos na cidade de Campos dos Goytacazes.
Além de problemas dificuldades para a manutenção do projeto e falta de instrumentos musicais a orquestrando a vida não dispõe de um espaço suficiente para o desenvolvimento das suas atividades com dignidade.
Você pode fazer parte desta campanha através das redes sociais para ajudar a conscientizar a iniciativa privada e pública para a necessidade da aquisição de um novo espaço para a realização das atividades da Orquestrando a Vida.
Hoje são 600 crianças que diariamente utilizam uma casa, que seria para uma família de 8 pessoas, e realizam um trabalho que é aplaudido nos maiores teatros e salas de concertos da América com o Carnegie Hall em Nova York (EUA).
A Orquestrando a Vida precisa de você!

segunda-feira, 19 de março de 2012

Orquestrando a Vida receberá Heloísa Fischer

Heloísa Fischer
A Orquestrando a Vida e o Centro Cultura Musical de Campos, receberá no próximo dia 22 de março a visita da jornalista Heloisa Fischer.
Eloisa esta viajando todo o Brasil fazendo um levantamento dos projetos socio-culturais para o Anuário Viva Música 2012. O projeto da Orquestrando a Vida foi selecionado pelo grande nível técnico e desenvolvimento artístico, sendo reconhecido como um dos maiores exportadores de músicos para as capitais brasileiras.
- Fico muito contente em poder ter o nome da cidade de Campos e do nosso projeto no principal anuário de música erudita do país. Somos reconhecidos pelo trabalho de qualidade que realizamos com os nossos jovens que hoje podemos ver alguns dos nossos músicos nas principais orquestras brasileiras como: Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Petrobras, Orquestra Sinfônica Nacional, Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Orquestra Jovem do Brasil, Orquestra Sinfônica do Mercosul, Orquestra Ibero Americana, entre outras, Disse Jony William, diretor do Centro Cultura Musical.

A jornalista carioca Heloísa Fischer de Medeiros Pires, 44 anos, é fundadora e diretora-geral de VivaMúsica! Edições.
Edita a revista mensal Agenda VivaMúsica!.  É comentarista de música clássica das rádios CBN (rede nacional,  terças e quintas, 16h10) e MEC FM do Rio de Janeiro (de segunda a sexta, às 13h). Produz e apresenta o programa "Clássicos VivaMúsica!" a bordo de voos nacionais e internacionais da TAM.


Formada pela Escola de Comunicação da UFRJ, antes de fundar VivaMúsica!,  Heloísa foi coordenadora das rádios Globo FM (1990-1993) e Opus 90 FM  (1993-1994). A Opus foi a única emissora clássica comercial do Brasil.

Nos anos 1990, chegou a acumular a direção da empresa com prestação de serviços a outras organizações ligadas ao setor como a gravadora Sony Classical (1999-2000) e a rádio MEC FM (1997, coordenação artística). Já prestou consultoria para o Sistema Globo de Rádio e somlivre.com em projetos de música clássica. Ancorou para a TVA as transmissões ao vivo dos concertos de Luciano Pavarotti na Bahia e Os Três Tenores no Morumbi, ambos em 2000.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Orquestrando a Vida divulga datas da Série Sinfônica 2012.


 
A Orquestrando a Vida divulga as datas de uma das suas principais séries de concertos. A Série Sinfônica estreiou sua primeira edição em 2011, com a grande recepção do público campista que comprovou o grande desenvolvimento técnico atingido pela Orquestra Sinfônica Mariuccia Iacovino na companhia de solistas que empolgava o publico que sempre lotava as depencias da Igreja S. Francisco. Novos solistas convidados para 2012  e a serie ganha a sua segunda edição a altura da realizada em 2011.

A Série que trouxe a Campos a soprano Angelica de La Riva e o violonista Nilko Andreas, onde surgiu o convite para a turnê em Nova York, a soprano Neti Szpilman, admirada pelos jovens músicos da orquestra, o tenor Max Wilson, o violinista Daniel Guedes, o grupo de gaitas Brasilian Piper. Em 2012 ganha novo fôlego reservado para cantores e corais como o barítono Lício Bruno que abre a série no dia 04 de maio, e segue com a fabulosa Neti Szpilman, Coral Ensemble Brasil da UFRJ, Geraldo Mathias, Max Wilson e encerrando a série em dezembro será o especialíssimo Coral Infantil da UFRJ com um repertório todo dedicado a canções natalinas.
Barítono Lício Bruno abre a Série Sinfônica em maio.

Neti Szpilman canta com a Orquestra em junho.

A Série Sinfônica continua sendo realizada na Igreja São Francisco, um dos prédios mais antigos e belos da cidade de Campos e tem a direção geral do maestro Jony William. 

Daniel Guedes e Orquestra Sinfônica Mariuccia Iacovino. Série Sinfônica 2011.

Angelica de La Riva e Nilko Andreas foi uma das principais atrações de 2011.

quinta-feira, 15 de março de 2012

Orquestrando a Vida importa músico espanhol!


A Orquestrando a Vida conversou com o professor espanhol Francisco Perez Souto que realiza em Campos o Seminário Internacional de Trompete.

O Seminário de trompete acontece mensalmente desde julho de 2011 quando o professor Francisco Perez Souto chegou ao Brasil. Durante os seminários, Francisco trabalha com aulas individuais e em grupo, buscando aprimorar a técnica e a prática dos trompetistas das Orquestras da Academia de Orquestras e Coros Sinfônicos do Brasil.

Conte um pouco da sua experiência na Europa...

Eu comecei a tocar trompete na escola de música da minha cidade, que tem uma tradição muito grande de bandas de música, na qual toquei durante muitos anos. Com 17 anos entrei para a Academia da Orquestra Sinfônicas de Galícia, onde foi um ponto muito importante da minha formação musical, estudando com o maestro John Aigi. Ele me fez ter uma nova visão do trompete e do mundo das Orquestras Sinfônicas, e graças a ele tive a oportunidade de tocar nas Orquestras profissionais como a Orquestra Sinfônica de Galícia, Orquestra de Castilla e León, Orquestra da Cidade de Granada e festivais na Alemanha como o Pommersfelden Festival e Festival Junger Künstler Bayreuth.

Onde você se profissionalizou?

Estudei no Conservatório Superior de Música de La Coruna e no Staatliche Hochschule für Musik und Darstellende Kunst, Stuttgart na Alemanha.



Como esta sendo a sua experiência no Brasil?

A experiência foi e está sendo fantástica, sobre todo com o choque cultural, que para mim foi enorme, outro idioma e cada dia aprendendo novas coisas e tentando me acostumar com os 12 meses de verão. No meio musical, conheci músicos fantásticos e toquei com a OSB (Orquestra Sinfônica Brasileira).

 
Como você vê a música brasileira?

A música brasileira eu acho que está em um grande nível, no meu instrumento que é o que eu mais convivo, temos o exemplo de Flavio Gabriel e Fabio Brum, dois trompetistas brasileiros que conquistaram o segundo e terceiro lugar no Concurso Internacional de Praga, um concurso de um prestigio enorme.


E as orquestras brasileiras?

Acho que o número de orquestras profissionais é bastante pequeno se pensamos no imenso tamanho de Brasil, pois como exemplo a Espanha que é aproximadamente 15 vezes menor tem cerca de 30 orquestras profissionais. A qualidade das Orquestras brasileiras é de um bom nível destacando a OSESP e OSB, na qual tive o prazer de poder tocar.


O que você acha do ensino da musica no país?

Este é um ponto no qual deveria ser melhorado. Observo uma busca dos músicos de irem estudar nos EUA ou Europa. A minha crítica a educação no Brasil começa antes do ensino musical, vejo que o governo não se importa em ter cidadãos conscientes, pois não vemos investimentos na educação pública. No contexto musical é ainda pior.

Como você vê o seu trabalho na Orquestrando a Vida? A experiência em um trabalho social modificou seu modo de pensar em relação a musica?

Ter a oportunidade de poder participar do projeto da ONG Orquestrando a Vida foi maravilhoso, mudou muito a minha visão da vida. Estou vendo de perto histórias de vida tão difíceis das crianças e ver como a música pode ser uma grande ferramenta de transformação social na vida deles.

Gostei de ver que a ONG não é só um trabalho social. O que esta sendo feito aqui é um trabalho musical de grande qualidade musical. A população de Campos e todo mundo pode ver nos concertos que oferecem a qualidade dos grupos sinfônicos e, sobretudo uma programação de concertos anual surpreendente para uma orquestra jovem com tantos concertos e tantos variados repertórios. Poder ver aqueles jovens tocando em Nova York, chegar ao Carnegie Hall e receber convites para tocar em vários países da Europa é realmente emocionante por sabermos da realidade que eles vivem.
O maestro Jony criou em Campos um seleiro de músicos com grande qualidade musical e com um futuro prometedor.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Orquestra se prepara para abertura da temporada 2012


A Orquestra Sinfônica Mariuccia Iacovino se prepara para a abertura da temporada 2012 de concertos que ocorrerá no próximo dia 27 de março às 20 horas no Teatro Municipal Trianon, na Cidade de Campos dos Goytacazes.
O concerto terá entrada franca e será realizado em homenagem aos 177 anos da cidade de Campos dos Goytacazes. A Orquestra abrirá o concerto com o Hino a Campos, de Azevedo Cruz e Newton Perissé Duarte que em 2008 ganhou a orquestração do maestro Luis Mauricio Carneiro, diretor artístico e maestro da Orquestra.
A Temporada 2012 da Orquestra será marcada com grandes eventos e concertos com solistas internacionais, além de novas turnês. Logo depois do concerto a orquestra participa do 3º SIMUSIC (Seminário Internacional de Música) que seguira até o dia 27 de abril com a participação de professores dos Estados Unidos, Venezuela, Inglaterra, Espanha e Brasil.


A Orquestra Sinfônica Mariuccia Iacovino foi fundada em março de 1998 e desde sua fundação já teve várias formações. A Orquestra é um grupo  pertencente à Academia de Orquestras e Coros Sinfônicos do Brasil.
Desde sua fundação, este grupo sinfônico é mantido pela ONG Orquestrando a Vida, que reúne, atualmente, cerca de, 85 integrantes, originados de diversas camadas sociais, principalmente aquelas menos favorecidas e inseridos na faixa etária dos 10 aos 19 anos e tem a direção artística e regência do maestro Luis Mauricio Carneiro e direção geral do maestro Jony William Villela.
Durante todos os anos de existência, a Orquestra vem sendo considerada uma iniciativa inédita, não só no Estado do Rio de Janeiro, mas no Brasil e na América do Sul, sendo a primeira orquestra  brasileira a fazer parte do projeto venezuelano “El Sistema” da FESNOJIV (Fundacion del Estado para el Sistema Nacional de las Orquestas Juveniles e Infatiles de Venezuela) que mantém um intercâmbio de professores e alunos, o que denota o reconhecimento internacional de que goza esta iniciativa. O que também suscitou os maiores elogios de Yo-yo ma e Perlman pela seriedade do trabalho, que abrange 1800 jovens e que existe ha 14 anos na cidade de Campos-RJ .
Com extensa temporada anual de concertos, realizados periodicamente no Teatro Municipal Trianon, de Campos, Rio de Janeiro a orquestra realizou diversas turnês de concertos por diversas cidades brasileiras e países da América Latina, dentre as quais, podem ser citados os seguintes teatros e espaços: Theatro Municipal do Rio de Janeiro (RJ-Brasil), Sala Cecília Meireles (Rio de Janeiro), Auditório de Radio Paraná (Encarnación – Paraguai), Auditório Belgrano (Buenos Aires – Argentina), Auditório San Agustín/Universidad Católica Argentina (Buenos Aires – Argentina), Salon Dorado Del Teatro Colón (Buenos Aires – Argentina), Centro Sinfônico Nacional (La Paz- Bolívia), Museu Nacional de Arte (La Paz- Bolívia), Teatro Muncipal de El Alto (Bolívia), Palácio das Laranjeiras ( Rio de Janeiro) , Teatro Vivo Rio (Rio de Janeiro), Golden Roon/Hotel Copacabana Palace, United Palace Theatre (New York), Church of the Holy Innocents (Manhattan – New York), Church of the Atonement (Bronx – New York), Union City Music Project New Jersey (New Jersey), Weill Hall/ Carnegie Hall (New York).
A Orquestra conta com um vasto repertório de música brasileira, enfatizando a sua cultura com danças do folclore brasileiro como samba, capoeira e marchinhas de carnaval. A orquestra realiza grandes evoluções em palco com coreografias mostrando a brasilidade dos músicos e a riqueza dos ritmos brasileiros.
No ano de 2008, através de parceria com a Dell’Arte, este agrupamento sinfônico ganha uma nova e promissora etapa em sua existência, tendo a oportunidade de tocar para grande músicos como: Yo Yo-Ma, Itzhak Perman e Maestro Gustavo Dudamel , transformando-se no segmento educacional desta empresa e abrindo uma era de muitos e grandiosos desafios.
Em 2010 a Orquestra fez sua turnê internacional pela Bolívia, participando do “8º Festival del Sol” nas cidades de La Paz e El Alto, em 2011 abriu as comemorações dos 102 anos do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, realizou um concerto exclusivo sob a regência do maestro Gustavo Dudamel em homenagem ao maestro José Antonio Abreu, fundador no El Sistema da Venezuela, e Orquestra Simon Bolívar e realizou sua turnê nos Estados Unidos da América, encerrando a turnê no Carnegie Hall em Nova York.